quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Não Confundas o Amor Com o Delírio da Posse

Olá Amigos,
Saúde e paz!
O texto abaixo foi escrito na primeira metade do século 20. Seu autor viveu de 1900 a 1944. No entanto, ouso dizer que é mais atual do que nunca. A confusão entre posse e amor gera muitos crimes passionais. Vemos diariamente notícias sobre este assunto. Por este motivo resolvi publicá-lo.
Boa leitura.
Att,

Cláudia Conegundes


Não confundas o amor com o delírio da posse, que acarreta os piores sofrimentos. Porque, contrariamente à opinião comum, o amor não faz sofrer. 

O instinto de propriedade, que é o contrário do amor, esse é que faz sofrer. 

Por eu amar a Deus, meto-me a pé pela estrada fora, coxeando penosamente para O levar aos outros homens. E não reduzo o meu Deus à escravatura. E sou alimentado com o que Ele dá a outros. Eu sei assim reconhecer aquele que ama verdadeiramente: é que ele não pode ser prejudicado. 

O amor verdadeiro começa lá onde não se espera mais nada em troca. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário