domingo, 1 de abril de 2012

Preste atenção no que você QUER!

Olá Amigos,
Saúde e paz!
Sei que o Ano Novo começou há quatro meses. No entanto, acredito que o texto publicado hoje, pode ser aplicado em qualquer época e circunstâncias da vida. Está relacionado à maneira como pensamos e traçamos nossas metas. Ao lê-lo, identifiquei-me com dificuldades que tenho em "focar" apenas nos objetivos em detrimento daquilo que não desejo.
Mantive o texto no formato original como foi traduzido. Por este motivo, existe nele a palavra "brabo", uma variação para o adjetivo "bravo".
Espero que apreciem.
Desejo-lhes muito aprendizado, crescimento e contínuo sucesso!
Atenciosamente,

Cláudia Conegundes

Reg Connolly

Esta é a época do ano em que muitas pessoas se comprometem com as resoluções de Ano Novo.

E aí decidimos que é hora de um novo começo – nós já nos cansamos dos velhos hábitos! E muito em breve, estaremos de volta aos velhos hábitos.

Por quê? Embora, obviamente, possam existir muitas razões, a principal é que nós normalmente nos focamos na parte "não mais dos velhos hábitos". As resoluções de Ano Novo, como todo 'novo começo', geralmente se focam no que não queremos em vez do que realmente queremos. Nós não estamos dirigindo nosso ônibus na direção certa!

Direção errada

Os nossos pensamentos despertam os nossos sentimentos e as imagens que nós acolhemos, ou enfatizamos, nos afetam muito poderosamente. Perceba em cada uma das metas a seguir que imagens mentais são despertadas:

- Eu não vou exagerar na comida – foco na comida e na atividade de comer muito.

- Eu devo parar de fumar – foco na atividade de fumar cigarros.

- Eu não quero perder a calma – foco no sentimento da raiva.

- Eu não quero sentir ciúmes...

- Eu não quero ficar acima do peso...

- Eu não quero ficar pobre, ou sozinho, ou em pânico, ou estressado, ou...

O que você enfatiza afeta o seu humor

Ter uma meta de 'não' fazer alguma coisa é um caminho seguro de manter na sua mente as imagens do que você não quer!

Por exemplo, você pode querer perder peso, mas tem uma inclinação por comida saborosa. Tentar 'não' pensar nesse tipo de comida desperta imagens. E essas imagens criam um desejo por comida saborosa.

De um modo similar, quanto mais você tentar combater o hábito de fumar, provavelmente ficará mais obcecado pelo cigarro. Quanto mais você tentar 'não' se sentir brabo ou com ciúmes, provavelmente mais brabo ou ciumento você ficará.

Não pense nisso!

Em vez de se focar no que você quer alcançar, nós estamos nos focando no que nós queremos deixar para trás – mas ao continuar nos focando nisso, nós o mantemos na nossa frente. Essa é a razão pela qual as resoluções de Ano Novo, como outros ‘novos começos’ e boas intenções, terminam tão rapidamente!

É o fenômeno do "não pense num rinoceronte azul".

Tente isso: feche seus olhos e decida que sob nenhuma circunstância você irá pensar num rinoceronte azul. Quando você faz isso, reforça o pensamento ao afirmar para você mesmo que "não irá pensar num rinoceronte azul."

E, lógico, quanto mais tentar não pensar nele, mais e mais forte você torna o pensamento. Quanto mais você se focar no que não quer, mais você se torna fixado ou até mesmo obcecado com isso – e essa é uma das coisas que nós aprendemos ao usar a PNL para entender como os nossos pensamentos e as nossas emoções se afetam mutuamente.

A solução?

Comece a pensar sobre aquilo que você quer!

1. Em vez de ‘eu não devo exagerar na comida’: talvez comer com saúde e com juízo. Ou comer apenas o suficiente para aliviar a fome. Ou comer comidas mais saudáveis.

2. Em vez de ‘eu quero parar de fumar’: você pode querer desfrutar a liberdade de ser um ex-fumante que respira facilmente, tem a garganta desobstruída e cheiro de limpo.

3. Em vez de ‘eu não quero ficar brabo’: talvez você gostaria de ser capaz de não deixar que a questão afete o seu comportamento, ser capaz de ignorar o que você percebe como mesquinhez ou falta de consideração dos outros. Ou ser capaz de enxergar as manobras provocadoras de raiva da outra pessoa.

4. Em vez de ‘eu não quero me sentir nervoso ou em pânico’: se foque em como você gostaria de lidar, por exemplo, com situações estressantes se sentindo mais calmo, respirando com facilidade, pensando mais claramente.

Desenvolvendo o hábito

Habitue-se a perceber que imagens mentais o seu pensamento está despertando. Reconheça que essas imagens mentais estão afetando os seus sentimentos. E, se necessário, mude aquilo em que você está se focando.

Muitos de nós fomos educados no mundo do "não faça isso". Por isso trocando o foco do que você não quer para aquilo que você quer, irá ocupar um pouco da atenção – por algumas semanas, ao menos! Essa abordagem não é uma armação mágica ou uma panaceia, mas é muito importante para começar a conduzir seu próprio ônibus.

O velho ditado – seja cuidadoso com o que você instala na sua mente porque certamente se tornará realidade – tem muito de verdade.

Reg Connolly é Trainer Certificado e Master Practitioner de PNL, treinador de administração e de vendas.




http://www.golfinho.com.br/artigospnl/objetivos.asp

Nenhum comentário:

Postar um comentário