quarta-feira, 16 de maio de 2012

Inteligência Emocional

Olá Amigos,
Saúde e paz!
No artigo de hoje, a autora aborda um tema complexo e interessante.
O assunto se tornou muito discutido, após o lançamento de um livro do Daniel Goleman. Passou-se então a conhecer e valorizar o QE (quoeficiente emocional). Antes apenas o QI (quoeficiente de inteligência) era considerado.
É interessante aprendermos a direcionar nossas emoções, para alcançarmos metas e objetivos.
Desejo-lhes muitas realizações e contínuo sucesso!
Atenciosamente,

Cláudia Conegundes
   

Quando pensei nesse artigo, imaginei a amplitude que a inteligência emocional tem na vida de uma pessoa e o quanto a utilização da mesma pode tornar a vida uma experiência de bem-estar e realizações.

O grande desafio está em identificar as emoções e saber que cada uma delas pode ser direcionada para alcançar as suas conquistas. Agora, o que é possível fazer para tornar essa utilização mais automática e disponível mais vezes no seu cotidiano?

Trata-se de uma oportunidade para realizar essa mudança de atitude. Podemos transformar os aspectos simples da vida, constantemente, a cada minuto, em eventos de grande significado, apenas utilizando favoravelmente a nossa inteligência. Afinal, somos movidos a várias emoções, seja no trânsito, em casa ao gerenciar os diversos interesses, no trabalho ao desenvolver atividades que agregam diversidades e sempre tentando manter o foco... Ufa!

São inúmeras as ofertas para o nosso desenvolvimento emocional, talvez mais do que a mente consciente possa captar. Por exemplo, é possível reconhecer que através de pequenas ações estamos constantemente sendo colocados em experiências, que geram resultados diferentes dos esperados, o que poderíamos intitular de "frustração".

E aí, sim, teríamos uma bela armadilha emocional, que nos privaria de experimentar um dia-a-dia com inúmeras possibilidades, resultando numa vida profissional sem-graça e com inúmeras queixas. Falar pelos cantos que a empresa não merece o talento que você tem, ou que desperdiça os potenciais e não dá espaço para crescer... (quem já ouviu isso, sabe do que estou falando), esse é um retrato vivo do que representa a utilização das emoções desfavoravelmente.

Sei que na escola ainda estamos desprovidos dessa matéria e acredito que é importante colocá-la na grade curricular para termos cidadãos do futuro. Enquanto isso não ocorre, porém, é possível utilizar outras estratégias.

Como já sabemos que todos têm inteligência emocional, o que talvez ainda seja oportuno é reconhecer que podemos aprender "como" manusear nossas emoções de acordo com os nossos objetivos. Quando você utiliza suas emoções para realizar algo melhor, sua inteligência emocional está em alta performance.

Quantos de vocês já não viveram um dia ao revés, aquele em que tudo caminha em uma direção diferente da planejada? Nessas ocasiões, porém, novamente, a sábia vida faz um convite para exercitarmos nossa inteligência emocional. Utilizando-a corretamente, conseguimos deixar esse dia, que tinha tudo para ser ruim, bom e produtivo.

Quem acessa essa capacidade terá um dia criativo e, quem sabe, até divertido. Por mais difícil que possa parecer, isso é possível. Nossa neurologia tem a magnífica aptidão de apreciar e de desenvolver novos caminhos.

Um dia ao revés, com um novo significado e uma nova maneira de gerenciar, pode garantir, além de tudo, uma longevidade, caso sua saúde também seja o seu foco. Digo isso pois, às vezes, me deparo com executivos que esqueceram que corpo e mente formam um único sistema e que zelar pelos dois é uma atribuição do gestor. Quanto mais você usa sua neurologia para diversificar, driblar situações com novas estratégias, você terá mais resiliência ao negativo e mais vigor no positivo, algo que no mercado vale muito. Inúmeras empresas investem para seus colaboradores desenvolverem essa competência e você já pode sair na frente!

Talvez você comece a se dar conta do quanto essa Inteligência é valiosa e o quanto ela depende, num primeiro momento, da sua decisão em tê-la. Costumo informar que o milagre acontece, só é importante saber que tem uma estrutura. Saber como fazer o milagre é a parte mais importante. Naturalmente, depois de você conhecer o "como" fazer para desenvolver a Inteligência Emocional, da forma que deseja.

Outro mito comum é que muitos ainda acreditam que ou têm a tal inteligência ou estão fadados a viver uma vida de tempestades emocionais. E os que pensam assim, novamente ficam presos nas armadilhas limitantes. Vamos desmistificar. Você tem tudo o que é importante para desenvolver essa habilidade. Basta fazer um percurso que facilite. Vamos exercitar alguns trajetos que impulsionam a Inteligência Emocional:

" Propósito
Desenvolvi esse exercício há nove anos e tenho utilizado no Processo de Coaching Eficaz e cursos. O objetivo é ter um propósito para o seu dia.
Antes de sair de casa defina:

O que tenho de mais precioso na vida.....
- O que almejo hoje é......
- Para isso quero ser....

Exemplo:
- O que tenho de mais precioso na minha vida é minha saúde.
- O que almejo hoje é dinamismo.
- Para isso quero ser uma pessoa saudável.

A cada novo dia altere seus propósitos, se forem adequados ao seu objetivo e viva sua Inteligência Emocional, realizando seu primeiro planejamento.

" Respeite o Limite
Viver com consciência dos seus limites é viver livre. Respeitar os seus limites é sabedoria, que pode ser adquirida desde muito cedo. Por isso, diante de uma situação desafiadora, avalie:

- Para que estou aqui?
- O que pretendo fazer?
- O que me trará o melhor resultado?
- O que limita meu resultado?
- O que posso fazer de diferente?

Caso seja importante, se afaste mentalmente da experiência, para definir, a partir das respostas, seus limites e ter resultados promissores.

" Construa o objetivo
Onde você quer ter os benefícios da utilização da sua inteligência emocional?
Defina o primeiro setor da sua vida ou experiência especifica em que deseja ter novos recursos com a Inteligência emocional. Isso será um combustível para imaginar, concretamente, o que o fato de ter essa aptidão trará para sua vida. E, naturalmente, instrua sua neurologia de que isso pode ser muito interessante.

Divirta-se usando a sua mente e o seu melhor favoravelmente!



Texto:Marcia Dolores Rezende
Psicóloga e Trainner Advanced em PNL.
Especialista em Desenvolvimento Pessoal e Executivo.
Diretora do Instituto Saber



Nenhum comentário:

Postar um comentário