terça-feira, 6 de novembro de 2012

Empreendedorismo e o Desafio de ser Bem Sucedido


Olá Amigos,
Saúde e paz!
Ao ler o texto que trago hoje, tive identificação imediata. Estou muito feliz por fazer parte dos Empreendedores do Brasil. Fiz uma escolha consciente e sei que tomei a melhor decisão. 
Quando o autor descreve os desafios enfrentados pelos Empreendedores, tais como, burocracia na abertura  de empresas, custo logístico, impostos, gestão, treinamento, entre outros, avalio o segmento de mercado que escolhi e minha parceira corporativa. Tenho uma loja virtual localizada na maior vitrine do mundo que é a internet. Minha parceira corporativa, a Polishop, oferece uma estrutura completa, marca forte, produtos inovadores e baixo investimento para quem deseja se tornar parceiro.
É uma tendência que veio para ficar. Se você deseja saber mais sobre o empreendimento que mais cresce no país, acesse o site: http://www.sistemawinner.com.br/claudiaconegs/hotsite. Encontrará informações de qualidade, além de vídeos e maneiras de esclarecer suas dúvidas sobre o projeto.
Desejo-lhes muitas escolhas felizes e continuo sucesso!
Atenciosamente,

Cláudia Conegundes




Uma das grandes nações que vivenciaram e estimularam o empreendedorismo foram os EUA. Souberam tirar muito proveito dos resultados de empresas, hoje claros como Google, Facebook, Apple, e de ontem Standard Oil Company, Microsoft, Ebay, entre outros. Nos EUA toda a estrutura favorece para que pessoas sejam empreendedoras e por isso o pais é chamado de terra da oportunidade. Inclusive várias escolas de renome possuem cursos de MBA neste tópico, caso da universidade de Yale, referência mundial no assunto.

No Brasil, pela atual conjuntura econômica, o qual vem mostrando um mercado interno mais aquecido e potenciais empreendedores inspirados pelos recentes sucessos nos EUA, as pessoas estão arriscando mais. O governo tem apoiado inicialmente em discursos toda essa onda empreendedora, que é mostrada através dos números. O IBGE mostrou em recente pesquisa que 50% das empresas abertas no Brasil tem menos de um ano de vida. Essa onda empreendedora está tão evidente e tão presente nas estratégias governamentais de desenvolvimento que conceituadas revistas estrangeiras como The Economist abordaram o assunto com entrevista exclusiva da Presidente Dilma.

O empreendedorismo é excelente para a nação. Basicamente estimula pessoas que tem uma ideia a implementá-la gerando assim valor a partir do zero. A geração de valor faz com que as organizações fiquem extremamente competitivas gerando riquezas à economia nacional.

Porém o que acontece após tirar da gaveta aquele projeto, após arriscar e pôr em prática aquela ideia nunca antes pensada? Como se manter após o primeiro ano de vida da empresa? Há vários desafios em ser bem sucedido, não basta ser empreendedor, tem que ter as condições de fazer o negócio nascer, crescer e se desenvolver sustentavelmente.

Se por um lado 50% das empresas no pais hoje têm menos de 1 ano, 50% das empresas não conseguem passar dos 3 anos de vida. Os motivos poderiam ser divididos em 2:

  • de ordem governamental; onde ainda faltam incentivos financeiros, como menores taxas de juros para financiamento, desburocratização dos processos de abertura, e manutenção das empresas, redução e reestruturação fiscal, alto custo logístico, falta de mão-de-obra especializada entre outros.

  • de ordem gerencial interna; onde faltam aos empreendedores conhecimentos para uma boa gestão (bom e claro planejamento, forte controle de métricas de desempenho, avaliação dos resultados e tomadas de decisão rápidas).

Para os problemas de ordem governamental, a expectativa é grande, que o atual e futuros governos continuem a tomar ações que viabilizem o empreendedorismo. Temos a esperança que essas ações sejam robustas e que tenham um curto prazo de implementação. Isso será muito benéfico ao país.

Na questão de ordem gerencial, hoje há no mercado consultorias que são verdadeiras escolas de gestão e atuam na implementação, treinamento e acompanhamento de um bom e robusto sistema de gestão. As empresas conseguem assim maximizar o valor da consultoria sem o alto investimento em manter os consultores por longo período de tempo.

Com auxílio das ações governamentais, uma boa capacitação gerencial e liderança (persistência, perseverança e uma boa ideia) o país aumentará a taxa de sucesso destes grandes empreendedores que  nascem a cada ano. Assim o Brasil caminhará ainda mais rápido para se tornar um país melhor e mais rico.



Nenhum comentário:

Postar um comentário