segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Seis Dicas para Conseguir ser Ouvido

Olá Amigos, 
Saúde e paz!
O texto de hoje traz uma história real, de onde podemos tirar muitas dicas importantes para nossas vidas. Penso que para buscarmos nossos objetivos, devemos ser determinados, disciplinados, coerentes, éticos. É importante termos planejamento e foco.
Convido-os a conhecerem uma excelente oportunidade de parceria: http://migre.me/djHQk
Desejo-lhes muitas conquistas, contínuo sucesso e uma ótima semana!
Atenciosamente,

Cláudia Conegundes





Saber pedir é uma habilidade que pouca gente domina. Mais difícil ainda é saber pedir para desconhecidos, sendo você mesmo um desconhecido. A jornalista e escritora americana Anne Kreamer, em sua coluna no site da Harvard Business Review, abre algumas pistas sobre como fazer estranhos acreditarem em nós. Ela faz uma lista de seis dicas baseadas num e-mail que recebeu.

A autora do e-mail se chama Zanele Mutepfa, nascida no Zimbábue e aluna da Universidade Estadual de Portland, Oregon. Anne admite em seu texto que normalmente desanimaria diante de uma mensagem que começa com “Prezada Sra. Anne, sei que você não tem ideia de quem eu sou”. No entanto, algumas frases que vinham a seguir acabaram fazendo com que ela concordasse em receber a desconhecida em seu escritório em Nova York (depois de checar no Google que Zanele era quem dizia ser). Um pouco mais tarde, Anne descobriria que Zanele havia derrubado as defesas de outros profissionais que também aceitaram sua visita.

Zanele encerrava seu e-mail dizendo: “Se nenhum estranho acreditasse na gente uma vez na vida, o que seria de nós?” E isso levou Anne a lembrar imediatamente que também ela havia saído do interior para tentar a vida em Nova York, há 35 anos, e chegou à cidade sem conhecer ninguém na profissão. Mas, além disso, em que outros pontos Zanele acertou quando escreveu o e-mail, e que regras podem ser tiradas disso? 
Estas:

1. Tenha objetivos profissionais claros. Antes de escrever e mandar o e-mail, Zanele reservou um tempo para fazer um esboço de si mesma e enumerar suas metas: comandar um programa de entrevistas, criar uma organização de apoio a mulheres empreendedoras, tornar-se escritora e talvez modelo de roupas tamanho GG. Anne diz que tudo isso pode parecer absurdamente ambicioso e irrealista, mas não se for resumido a dois temas unificadores: trabalhar com meios de comunicação e ser uma agente de afirmação de outras mulheres.

2. Crie uma rede de contatos ampla mas focada. Estando segura de que quer trabalhar com comunicação, Zanele escolheu pessoas ligadas às organizações e atividades que ela admira. “Foi importante eu realmente acreditar no trabalho que eles fazem para tornar verdadeira a minha mensagem”, Zanele diria depois a Anne. E o fato de ter elaborado uma seleção preliminar ampla, fez com que ela acabasse sendo recebida por seis pessoas importantes.

3. Seja autêntico, contando uma história pessoal. Geralmente se recomenda que um e-mail profissional, ainda mais para um destinatário que não nos conhece, deve ser o mais contido e breve possível. Mas o que levou a jornalista Dina Gusovsky, imigrante russa, a aceitar o pedido de encontro de Zanele foi identificar-se com sua história. Dina disse a Anne: “Acho que de certa forma fomos todos Zaneles algum dia. Às vezes acho que ainda sou. Para pessoas criativas a jornada nunca termina.”

4. Mostre vários pontos de conexão. Zanele conseguiu um encontro com a meteorologista-chefe da emissora de televisão WNBC, Janice Huff, por ter mencionado que ambas haviam frequentado a mesma “irmandade” (associação de alunas) na Universidade de Portland.

5. Não tenha medo de demonstrar vulnerabilidade. Foi o que destacou a consultora de moda Ellianna Placas (também uma estrangeira, nascida na Austrália) ao comentar o e-mail de Zanele: “Achei que ela foi corajosa e franca ao colocar sua fé na natureza humana acima das outras coisas, como se dissesse ‘acredite num estranho’. Ela chegou a mim pedindo um conselho e foi embora como uma nova amiga.”

6. Esteja aberto para tirar conclusões sobre o caminho que você fez. Zanele foi para Nova York, mas não conseguiu um emprego. Entretanto, quando voltar, já tem um caminho começado. “Eu aprendi muito sobre mim mesma e sobre o que me motiva”, disse para Anne.


http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI331620-17180,00-SEIS+DICAS+PARA+CONSEGUIR+SER+OUVIDO.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário